A Rua Perfumada de Vila Madalena

Começa hoje, entre 10h às 19h, todos os sábados, o projeto que perfumará a rua de Vila Madalena. Como afirma Denise Spada, proprietária da loja (franqueada Avatim Vila Madalena), o objetivo é garantir que durante as nove horas em que os borrifadores ficarem ligados, as pessoas sintam São Paulo de outra maneira. A iniciativa foi percebida como uma Inovação Brasileira, onde a cada 5 minutos os borrifadores exalarão os deliciosos aromas da Avatim, lembrando que o primeiro aroma será o de Pitanga.

Confira a matéria produzida por Gilberto Dimenstein para o Catraca Livre:

Ao caminhar pela rua Aspicuelta, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, a primeira coisa que chama atenção dos pedestres é o perfume que cerca a fachada da loja Avatim- Cheiros da Terra. O cheiro característico de Jamboa, uma mistura de greapfruit com canela, além de despertar a atenção das pessoas para o comércio, permite que os paulistanos desfrutem de um odor natural, raramente permitido pela poluição da cidade.

A partir do dia 12, a loja colocará borrifadores automáticos com aroma de pitanga –além do já feito trabalho manual– entre a rua Harmonia e a rua Girassol, entre às 10h e às 19h, todos os sábados.

O aroma de pitanga foi minuciosamente escolhido para que quem caminhar neste trecho sinta o odor de uma antiga Vila Madalena que, com a expansão imobiliária, teve suas características pitangueiras extintas.

A ideia, como afirma Denise Spada, proprietária da loja, é garantir que durante as nove horas em que os borrifadores ficarem ligados, as pessoas sintam São Paulo de outra maneira.

 

Confira também o Podcast de Dimenstein, ontem, 11 de abril,  para a rádio CBN:

Clique no link: http://cbn.globoradio.globo.com

Parabenizamos a belíssima iniciativa da Avatim Vila Madalena. Boas ideias , grandes iniciativas e aromas Avatim merecem ser compartilhados com todo o mundo!
Sinta-se bem. Sinta-se Avatim.

Falando de aromas: Afrodisíacos parte 4

O Nascimento de Vênus por William-Adolphe Bouguereau , 1879

O Nascimento de Vênus por William-Adolphe Bouguereau , 1879

Sabe de onde é originada a palavra a-f-r-o-d-i-s-í-a-c-o?
A palavra “afrodisíaco” é originada da deusa da sensualidade, do amor, da fertilidade; Afrodite.
Agora, vamos saber mais sobre os aromas afrodisíacos em rituais!
Em um ritual religioso da Índia, os aromas são aplicados aos corpos das mulheres para ungir vários pontos e elevar seu espírito. No ritual, acredita-se que a mulher se manifeste como a força criativa sagrada, Shakti, e assim era adorada. Óleos afrodisíacos que promovem o equilíbrio entre a mente, corpo e alma são os de pinho, erva-doce, angélica, gerânio e cipreste.

Maithuna

Maithuna

Os aromas são presentes fortemente na mitologia e religião. Explicando um pouco mais sobre o discorrido anteriormente, o ritual Indiano denominado Maithuna é o ato sexual ritualizado, é o processo final, onde se é necessário uma preparação anterior muito séria e competente através do Yoga Tântrico ou outras práticas Tântricas – Tantra Sadhána. O maithuna é considerado como o auspicio maior de todas as cerimônias tântricas  é a mais poderosa e secreta técnica mística de todos os tempos. Essa técnica também é conhecida como Shaktização pois os praticantes encarnam a consciência de Shakti a grande mãe ou se busca a união dos princípios masculinos e femininos – os opostos. É o Maha Mudrá (grande gesto) onde homem-Shiva e mulher-Shakti se tornam um.
E aonde entra o poder dos aromas afrodisíacos? Bom, no ritual do maithuna, o mais puro óleo de jasmim é colocado nas mãos, óleo de patchouli no pescoço e faces, âmbar ou almíscar sintéticos nos seios e nos órgãos sexuais; extrato de valeriana no cabelo, óleo de sândalo nas coxas e perfume de açafrão nos pés da Shakti. No Shiva aplica-se sândalo na testa, pescoço, barriga, peito, genitais, braços, pernas e pés.  Nessa prática são utilizados também; sândalo (para estimula todos os chakras), Patchouli (para estimular Shiva), Almíscar-Musk (para estimular Shakti), Tulasi (para conferir força física), Mogra (para favorecer o romance) e Violeta, Jasmim, Rosas (utilizados como ativadores da energia amorosa).
Gostaram da nossa semana de aromas afrodisíacos?
Então continuem ligados em nossos posts!
Ah, e se quiser ver algum conteúdo específico pintando por aqui; é só twittar ou postar para a gente!

#avatim

Referências:
Maithuna – Sexo Tantrico de Otávio Leal. Ed. Alfabeto – humaniversidade.com.br
Robin Coe | Traduzido por Lara Scheffer – ehow.com.br

Falando de aromas: Afrodisíacos parte 3

Já ouviu falar em aromas para rituais? Ainda não? Então vamos esmiuçar um pouquinho este assunto!
O gengibre, que é uma planta herbácea, proveniente da família das Zingiberaceae, originária da ilha de Java, da Índia e da China, que se difundiu pelas regiões tropicais do mundo. Essa planta de sabor refrescante e quente ao mesmo tempo é mencionado no Kama Sutra como afrodisíaco. Quem gosta de gengibre, passou à gostar ainda mais!
Ele atua na nutrição de nossa pele, na circulação sanguínea e permite uma sensação de relaxamento valiosa após um dia cansativo.
Os aromas quentes e picantes aumentam a transpiração, o que produz elevação de químicos corporais, e então, obtemos aquele poder de atração sexual!
gengibre

Está quase acabando a semana e também a nossa série de aromas afrodisíacos. Se você quer ver algum conteúdo específico, mande para nós; é só postar em nosso face ou twitter. Ah, mas não se preocupe, amanhã tem mais sobre esse assunto.
#avatim

Referências:
Robin Coe | Traduzido por Lara Scheffer – ehow.com.br